stellafolks

Álbum de estreia da Stella Folks: indie híbrido e vibrante*

*por Luíza Mazzola

Formada em 2016 por Thiago Mates (voz) e Bernardo Lajus (violão e guitarra), a Stella Folks ganhou, em 2018, os reforços de Carlos Graciano Jr. na guitarra e Tchaionny Xavier na bateria. E agora, três anos após sua formação, a banda se apresenta oficialmente ao público com o lançamento de seu primeiro álbum. A espera valeu a pena: o registro homônimo traz letras em português e é carregado de elementos de indie, MPB e rock nacional, misturados de maneira equilibrada em um som agradável de se ouvir.

Com produção aos cuidados de Alexei Leão e gravação, mixagem e masterização impecáveis realizadas no AML Estúdio (Florianópolis), o disco é composto por sete faixas, dentre as quais está “Despertador”. A faixa foi lançada em 2017, juntamente com um clipe mostrando o making of da gravação, e fecha o álbum com chave de ouro. A primeira faixa do registro, “Leal”, também ganhou um videoclipe divertido, com direção, gravação e edição de Johnny Duluti (Ferradura Vídeos), que foi lançado no início de fevereiro.

Além das vibrantes “Leal” e “Despertador”, também merecem destaque as belíssimas “Em Alemão”, “Não Desisti” e “Não É Poesia”. Esta última, com letra e participação de Jean Mafra, é de quebrar o botão do replay. São versos melancólicos, cantados com maestria por Thiago Mates e Jean Mafra, acompanhados por uma melodia simplesmente deliciosa, pra ouvir até cansar (mas eu, particularmente, ainda não cansei). O trabalho conta ainda com participações ilustres de outros nomes conhecidos da música catarinense, como André Guesser, Peterson Braga, Piero Nossol, Heyder Lentz Ribeiro e Diego Stecanela. Com um time desses, não tinha como dar errado.

É em um solo fértil, nutrido de leveza, energia e sentimento, que a Stella Folks encontra espaço pra brotar. Seja ouvindo sozinho em casa, de olhos fechados, ou dançando com a pessoa que você mais gosta, sentir algo é inevitável. Composta por músicos experientes, a banda imprime sua identidade em um som despretensioso e acessível, que agradará aos fãs dos gêneros que reúne nesse registro. O grupo sabe exatamente o que quer nos mostrar: um instrumental maduro, característico e de qualidade, adornado por versos tocantes e memoráveis, e é extremamente bem-sucedido nessa primeira empreitada.

E para não ficar só na válida, mas limitada experiência proporcionada pelas plataformas de streaming, no dia 12/03, o público terá a oportunidade de assistir ao show de lançamento do disco de estreia da Stella Folks, no Teatro Álvaro de Carvalho. O show faz parte do projeto “TAC 8 em Ponto”, e contará com abertura da excepcional Parafuso Silvestre. Com todos esses talentos em cima do palco, certamente não será uma terça-feira qualquer. Vamos?

Foto: Elisa Imperial

*Luíza Mazzola é professora de francês, tradutora, revisora, doutoranda em Literatura na UFSC, mas antes de mais nada, amante da música

Nasci em Blumenau, mas fui criado em Biguaçu, cidade em que vivi até os 28 anos: hoje moro em São José. Sou jornalista, me formei na Estácio de Sá e trabalhei no jornal Notícias do Dia, a minha casa entre 2009 e 2016, entre indas e vindas. Escrevia sobre esportes no impresso, mas sou apaixonado por música, a melhor invenção do homem.

2 Comentários

  1. Mais uma linda resenha, Luíza! Não conheço o som deles, mas vou até conferir pra sentir essa boa vibe que descreves tão bem. Parabéns!

    • Sempre um prazer ter teu feedback nos meus textos, meu querido! Espero que gostes do som tanto quanto eu gostei!

DEIXE UM COMENTÁRIO.

Your email address will not be published. Required fields are marked *