gloire-ilonde-rifferama-610x407

Cristiano Ferreira e Gloire Ilonde em financiamento coletivo

Foto: Luiza Filippo

As plataformas de financiamento coletivo se tornaram ferramentas importantes para a propagação da arte como um todo no Brasil. Nos últimos anos, projetos dos mais variados tipos foram concebidos com a ajuda do público. Aqui em Florianópolis, artistas e bandas como François Muleka, Ponto Nulo no Céu, Caraudácia e Quarto Fechado, só para citar alguns nomes, conseguiram viabilizar os seus trabalhos utilizando esse modelo.

O guitarrista Cristiano Ferreira, que também é integrante Brass Groove Brasil, está na reta final da sua campanha de crowdfunding para custear a finalização do seu segundo álbum solo, “The Teacher’s Blues”. Um dos maiores representantes do blues na Região Sul, Ferreira já dividiu o palco com lendas da cena de Chicago (EUA) como Linsey Alexander, Lurrie Bell e Tail Dragger, e é o curador do Blues SC In Concert, um show tributo aos grandes mestres do estilo feito por músicos de Santa Catarina.

O prazo para apoiar o projeto se encerra na próxima segunda-feira (26) e até o momento foram arrecadados R$ 3.860 da meta: R$ 19.540. Como a campanha é flexível, independente de Ferreira alcançar o objetivo ou não, o guitarrista receberá todo o dinheiro que for doado. As recompensas vão desde o download do disco (R$ 15) até inclusão de logotipo, muitos CDs e ingressos para o show de lançamento do álbum (R$ 2 mil), previsto para agosto. Apoie.


Quem também recorreu ao financiamento coletivo foi o congolês Gloire Ilonde, radicado há cinco anos em Florianópolis. Além de atuar como compositor, Ilonde, que canta no dialeto lingala, além de francês e português, trabalha com desenhos, cerâmica, escultura, xilogravura e pinturas em telas. No caso do músico africano, a campanha segue o modelo “tudo ou nada”: ele precisa arrecadar os R$ 20 mil até esta sexta-feira (23). A boa notícia é que a meta está próxima de ser batida (conseguiu R$ 16.760). Entre os benefícios estão CDs, reproduções de desenhos e até mesmo uma apresentação com a Brass Groove Brasil – o artista participou da gravação do disco “Sopro Brasileiro” no ano passado. Apoie.

 

Nasci em Blumenau, mas fui criado em Biguaçu, cidade em que vivi até os 28 anos: hoje moro em São José. Sou jornalista, me formei na Estácio de Sá e trabalhei no jornal Notícias do Dia, a minha casa entre 2009 e 2016, entre indas e vindas. Escrevia sobre esportes no impresso, mas sou apaixonado por música, a melhor invenção do homem.

DEIXE UM COMENTÁRIO.

Your email address will not be published. Required fields are marked *