canibaisvegetarianos-rifferama

“Deixe Que Vá”, o indie dançante dos Canibais Vegetarianos*

*por Luíza Mazzola

O trio de indie rock Canibais Vegetarianos, formado em 2015 no município de Agrolândia, no Alto Vale do Itajaí, é composto por Níkolas Schaffer (baixo e vocal), Alan Münsfeld (guitarra e backing vocals) e Marcelo Sutil (bateria), e traz, em seu EP de estreia, um som maduro e original, pra fã de indie nenhum botar defeito.

O registro “Deixe Que Vá” é composto por três faixas, com captação, produção e mixagem de Rafael Rossetto, produtor do Flat Hall Studio de Rio do Sul, e foi lançado nas plataformas de streaming no final de junho deste ano (Spotify, Deezer, Soundcloud e YouTube). Os familiarizados com o indie certamente perceberão a influência de grandes nomes do gênero no som do trio, como The Strokes e Franz Ferdinand, em uma bem calculada e criativa infusão experimental com outros gêneros musicais, notadamente, pop e rock dos anos 80.

A sensual “Deixe Que Vá”, que dá nome ao trabalho, é uma mescla dançante de indie com uma vibe pop anos 80, coroada pelos vocais oníricos de Níkolas Schaffer. A segunda faixa, “Pra Que Se Amarrar”, presenteia o ouvinte com uma linha de baixo pronunciada e contundente que contribui para a atmosfera “festinha” do EP, enquanto os versos nos convidam a navegar, a nos perder. E é difícil recusar, são pouco mais de três vibrantes minutos que inevitavelmente trazem Daft Punk à memória. Já na derradeira “Tatu do Bem” (está liberado dar uma leve risada com o título), Alan e Marcelo trazem uma mistura equilibrada de guitarra e bateria que faz com que seja impossível ficar parado, traço característico das mais conhecidas bandas indie, fechando o EP com chave de ouro. É música que move por dentro e por fora, é som que nos tira pra dançar.

Com arte de Leonardo Minatti, o único defeito do trabalho de estreia dos meninos do Alto Vale é o gostinho de “quero mais” que fica após os poucos porém intensos 10 minutos de duração do EP. O indie rock dos Canibais Vegetarianos é, com toda certeza, uma joia da música autoral da região, uma bela amostra do que Santa Catarina tem a oferecer.

Foto: Pierry Schaffer

*Luíza Mazzola é professora de francês, tradutora, revisora, doutoranda em Literatura na UFSC, mas antes de mais nada, amante da música

Nasci em Blumenau, mas fui criado em Biguaçu, cidade em que vivi até os 28 anos: hoje moro em São José. Sou jornalista, me formei na Estácio de Sá e trabalhei no jornal Notícias do Dia, a minha casa entre 2009 e 2016, entre indas e vindas. Escrevia sobre esportes no impresso, mas sou apaixonado por música, a melhor invenção do homem.

Um comentário

  1. Maaaaravilhosos, desde o começo!

DEIXE UM COMENTÁRIO.

Your email address will not be published. Required fields are marked *