Guns N' Roses - South American Tour - Devassa On Stage - 01.04.2014 - Foto Eduardo Valente (50)-X2

Guns N’ Roses faz show histórico em Florianópolis

Foto: Eduardo Valente

O público que foi ao Devassa On Stage, ontem, para ver Axl Rose e companhia, foi, sem dúvida, o mais diversificado possível. Tinha gente que só conhecia “Sweet Child O’ Mine”, aqueles fãs de camisetas desbotadas, quase cinzas, que cantavam cada verso de “Estranged”, e outros que foram para testemunhar a passagem de um dos grandes nomes da história do rock. Como eu.

A irritação pelo esperado atraso (de uma hora) foi transformada em histeria no momento em que as luzes foram apagadas e, pouco a pouco, os integrantes da nova versão do Guns N’ Roses entravam no palco. Tenho alguns destaques a fazer sobre o show. Primeiro, acho injusto criticar essa formação da banda. Como falar em Slash quando temos Ron Thal, o Bumblefoot, um monstro. O guitarrista da cartola não vai voltar, desista.

Os músicos que Axl contratou para excursionar mundo afora são mais do que competentes. Richard Fortus segura as pontas para Bumblefoot e DJ Ashba, o mais hard rock dos integrantes, dividirem os solos e a preferência dos fãs. O primeiro é incrivelmente técnico, um virtuose, enquanto o membro do Sixx:AM esbanja feeling. Os outros não comprometem, mas também não chamam a atenção.

O que falar do vocalista? Acima do peso, com 52 anos, Axl Rose mandou bem. É pedir demais que ele ainda alcance as notas que fazia no começo dos anos 90, mas nem por isso ele se entrega. Superou todas as expectativas. Mesmo se comunicando pouco com o público, a simples presença dele no palco e um setlist matador, repleto de clássicos, fizeram com que a grande maioria do público tenha saído satisfeita, com certeza, por ter assistido um dos maiores shows que já aconteceram em Florianópolis. Mas espero que, da próxima vez, não subestimem a grandeza de uma banda como o Guns N’ Roses e escolham um lugar maior.

Ah, e o que foi aquela banda de abertura?

Nasci em Blumenau, mas fui criado em Biguaçu, cidade em que vivi até os 28 anos: hoje moro em São José. Sou jornalista, me formei na Estácio de Sá e trabalhei no jornal Notícias do Dia, a minha casa entre 2009 e 2016, entre indas e vindas. Escrevia sobre esportes no impresso, mas sou apaixonado por música, a melhor invenção do homem.

5 Comentários

  1. Ah! Com certeza o mais empolgado de todos foi o DJ Ashba, que supreendeu a todos, inclusive os seguranças, quando ele subiu no suporte e desceu no meio da galera.
    Outro ponto alto foi o pedido de casamento no palco no meio da "Knockin' On Heaven's Door".

    Histórico!

  2. Abertura: Uma porcaria. Se quero ver banda cover vou no Chopp do Gus.
    Guns: Animal... mesmo o Axl saindo do palco toda hora.

  3. Foi muito bom o show! Superou minhas expectativas, pois eu esperava um Axl Rose se matando pra conseguir cantar as músicas. Porém o que pude perceber é que ele está muito bem. Claro, não tem mais aqueles berros rasgados que conseguia, mas no geral segurou o show muito bem. Os músicos são de excelente qualidade, sem deixar nada a desejar. Só achei uma pena o Duff não ter tocado nesse show. Sobre o local, realmente precisam, ou aumentar e organizar o local, ou encontrem um local mais adequado pra comportar tanta gente. Massa ter te encontrado lá, abraço!

  4. Banda de baile, cara. Tocaram Creedence, Pearl Jam e Cazuza no mesmo show. Ridículo.

  5. Realmente o show foi sensacional.
    Agora fala aí da banda que abriu. eu não vi.

DEIXE UM COMENTÁRIO.

Your email address will not be published. Required fields are marked *