bradamundo-rifferama

Rifferama apresenta: Guia completo do Festival Bradamundo #5

O encerramento do Bradamundo, na terça-feira de Carnaval (dia 25), celebra o talento das mulheres artistas. No Palco Floresta temos as cantoras e compositoras Kia Sajo (15h30) e Dandara Manoela (17h), mais Cores de Aidê (19h55, B), Luiza Lian (21h20, M), que se apresenta com o fantástico Bixiga 70 – headliners do festival – e Mulamba (0h10, B). E ainda tem Banda Oito (14h), Carolino (18h30, M), Aminoácido + Sala de Estar (1h35, M) e Bailinho Lado C na discotecagem.

A OITO, de Cocal do Sul, faz as honras com o melhor do rock and roll para colocar o público no clima certo para a saideira do Brada. Além de composições autorais, o grupo, que conta com o guitarrista Robson Brigido (Leopoldo & Valéria e Don Capone), executa clássicos de Beatles, Led Zeppelin, Rolling Stones e os brazucas Casa das Máquinas, Mutantes e muito mais.

Kia Sajo, cantora, compositora e intérprete de Florianópolis, debutou em 2018 com EP “Mutá”, que mostrava a sua veia artística plural. Com uma sonoridade moderna, que vai do jazz ao samba, passando pelo trip hop, atualmente trabalha na produção do seu primeiro álbum. Kia promete promete envolver o público com um show intenso.

Melhor cantora de Santa Catarina, melhor álbum com “Retrato Falado” e artista revelação com a Orquestra Manancial da Alvorada. Esses são alguns prêmios que Dandara Manoela. já foi contemplada pela sua breve, porém bem-sucedida carreira artística. No ano passado, a cantora, que também integra o grupo Cores de Aidê, foi homenageada pela Câmara de Vereadores de Florianópolis com a medalha Cruz e Sousa pela relevância do seu trabalho.

Carolino é o projeto do cantor e compositor Guilherme Carolino (voz e violão), mineiro radicado em Florianópolis. Em 2018, o músico reuniu um supergrupo para a produção do seu primeiro álbum: os irmãos do Muñoz, Mauro (guitarra) e Samuel Fontoura (bateria) e Chico Abreu (baixo, ex-Skrotes), trazendo no som uma forte influência do rock nordestino dos anos 70, com samba, cumbia e surf music. O disco deve sair no primeiro semestre deste ano.

A programação de Carnaval do grupo percussivo Cores de Aidê começa neste domingo (16), em São Paulo, na Casa de Cultura do Butantã. Além do grupo de samba-reggae, que tem um disco lançado em 2018, o coletivo se apresenta também como bloco, com diversas atividades agendadas em Florianópolis até o dia 26.

Bixiga 70 e Luiza Lian fazem um dos shows mais esperados da primeira edição do Bradamundo. A big band paulista, uma grife da música instrumental brasileira, que acumula turnês pela Europa e Estados Unidos, se une a uma das principais cantoras da nova cena independente. Serão duas horas de muita experimentação e magia.

De Curitiba, o Mulamba representa um grito de vozes silenciadas. Desconstrução e letras impactantes em uma sonoridade que mistura o rock com a MPB marcam o trabalho da banda, que em 2018 lançou o seu primeiro álbum, eleito o melhor do ano pelo portal Tenho Mais Discos que Amigos! Quem ainda não assistiu o sexteto ao vivo, prepare-se para um show bombástico.

A Aminoácido, de Londrina (PR), é uma das bandas mais chapadas do cenário independente nacional. O rock instrumental do quinteto, que é influenciado principalmente por Frank Zappa (tem como ser ruim?), também joga em outras frentes como jazz e funk. No Bradamundo, o grupo toca com a Sala de Estar.

Nasci em Blumenau, mas fui criado em Biguaçu, cidade em que vivi até os 28 anos: hoje moro em São José. Sou jornalista, me formei na Estácio de Sá e trabalhei no jornal Notícias do Dia, a minha casa entre 2009 e 2016, entre indas e vindas. Escrevia sobre esportes no impresso, mas sou apaixonado por música, a melhor invenção do homem.

DEIXE UM COMENTÁRIO.

Your email address will not be published. Required fields are marked *