rodrigopiva-rifferama

Rodrigo Piva lança single e resgata álbum ao vivo no TAC

Apoie o Rifferama no Catarse


O cantor e compositor Rodrigo Piva, gaúcho radicado em Florianópolis há quase 30 anos, questiona um fenômeno difícil de explicar no seu novo single, “Fale News no Samba”: a existência do sambista bolsonarista. Lançado no dia 14 de julho, a música tem produção, arranjo, mixagem e edição do violonista Luiz Sebastião, que participou da gravação ao lado dos instrumentistas Chico Camargo (cavaquinho), Giovanni Berti (percussão), Neno Moura (bateria), Rafael Calegari (baixo) e Rogério Piva (guitarra e bandolim).

Cada um registrou a sua performance separadamente, como manda o figurino na quarentena.  Segundo Piva, a canção foi escrita poucos dias após o falecimento do compositor Aldir Blanc e a ideia surgiu em uma postagem nas redes sociais em que o percussionista Neno Moura mencionava a presença de músicos seguidores do atual presidente do país nas rodas pela cidade, algo totalmente descabido, tendo em vista as origens do gênero musical.

— É evidente a incompatibilidade entre a ideologia bolsonarista e a história do samba, marcada pela resistência de seus compositores e intérpretes, e também pelo viés libertário oriundo de sua matriz negra, a Mãe África.

Em paralelo a “Fake News no Samba”, Rodrigo Piva liberou recentemente a versão ao vivo do disco “Na Garganta do Artista”, seu segundo trabalho solo, lançado em 2011. A apresentação foi gravada no mesmo ano, no TAC (Teatro Álvaro de Carvalho), em Florianópolis, para a produção de um DVD que acabou não saindo. Além da sua super banda, formada por Luiz Sebastião, Rogério Piva, Chico Camargo, Carlos Ribeiro Júnior (baixo), Mauro Borghezan (bateria) e os percussionistas Alexandre Damaria, Eduardo da Costa e Eduardo Seara, Piva foi acompanhado neste show pelo pianista Cristóvão Bastos.

— Coisas que só acontecem numa quarentena, que me permitiu tirar da gaveta esses e outros projetos arquivados há quase uma década. Essa gravação registra um momento inesquecível da minha carreira, quando pude apresentar minhas canções com o respaldo de músicos como esses e a participação especialíssima do Cristóvão Bastos, que já fez parcerias com Chico Buarque, Paulinho da Viola, Aldir Blanc, entre outros.

Foto: Cássia Piva

Nasci em Blumenau, mas fui criado em Biguaçu, cidade em que vivi até os 28 anos: hoje moro em São José. Sou jornalista, me formei na Estácio de Sá e trabalhei no jornal Notícias do Dia, a minha casa entre 2009 e 2016, entre indas e vindas. Escrevia sobre esportes no impresso, mas sou apaixonado por música, a melhor invenção do homem.

DEIXE UM COMENTÁRIO.

Your email address will not be published. Required fields are marked *