joanacastanheira-rifferama

Joana Castanheira lança filme do EP “Aparador de saudades…”

Apoie o Rifferama no Catarse


17 de fevereiro de 2021, 21h. A carreira de Joana Castanheira atingiu um novo patamar com o lançamento do filme “Aparador de saudades que ainda não existiram ou porta-retratos”. Para além do resultado estético arrebatador do EP visual, um trabalho histórico, que deve servir de referência para projetos futuros, existe a descoberta da figurinista, maquiadora, roteirista e diretora. “O aparador me lembrou quem eu sou e o que eu posso fazer. Finalmente comecei a me sentir eu. Foi a lâmpada que faltava para iluminar o meu caminho”, como o artista definiu nas suas redes sociais.

Em 26 minutos, Joana ilustra as seis canções do EP, que saiu em março do ano passado, com referências a obras de Frida Kahlo, René Magritte, Grant Wood e Michelangelo (obrigado, Luanda Wilk!), imagens de bastidores com a equipe de produção e uma atuação convincente, dividindo a cena com o ator e cantor Rizzih em “À mesa”, e suas inúmeras trocas de figurinos, e em “Once In a Blue Moon”. O filme, rodado em apenas quadro diárias, duas em junho e duas em novembro, foi dirigido por Victor Zaguini e tem direção de fotografia, captação e edição de Rodrigo Schaeffer.

O repertório de “Aparador” foi gravado no estúdio The Magic Place, em Florianópolis, com produção musical, mixagem e masterização de Renato Pimentel, que também contribuiu com os arranjos ao lado da banda formada por Felipe Pessoa (violão), Mateus Romero (baixo), Riccieri Paludo (violoncelo). Joana toca violão em “Once In a Blue Moon”, que conta com a participação de Roger Correa no acordeon, e piano. A cantora compôs “Happy Place” e escreveu “Volta”, “Once In a Blue Moon” e “Porta-retratos” com parceiros. “À mesa”, que conta com a voz de Rizzih, é assinada pela dupla Diego Vivas e Daniel Albuquerque”. Já o texto de “Alumbramento”, de Cacau Corrêa, é responsável por um dos momentos mais marcantes do filme.

Em contato com o Rifferama, Joana Castanheira revela que o objetivo inicial era fazer apenas um clipe para a música “À mesa”. Um acidente de percurso, digamos assim, deu o estalo para que “Aparador” ganhasse esse formato. A artista recebeu um convite para gravar outros dois vídeos, de “Volta” e “Alumbramento”, mas o projeto não foi adiante e Joana e Victor Zaguini começaram a escrever o roteiro para o restante do repertório. Produtora executiva do filme, Joana ainda custa a acreditar no resultado e agradeceu o trabalho de toda a equipe e aos seus pais pelo apoio.

— Esse trabalho se fez sozinho, não era uma pretensão que o EP se tornasse um filme. Me descobri como multiartista, fiz os figurinos com o acervo que eu e o Victor, meu diretor e meu braço direito, temos em casa, e resolvi assumir essa função, de figurino e maquiagem. Ficamos surpresos com a nossa própria capacidade de fazer uma produção tão grande. Fizemos juntos, de forma independente, descobrindo como se fazia, mais a equipe toda, todos super abertos, dispostos e talentosos. Foi uma experiência incrível, às vezes eu nem acredito.

Foto: Gerusa Younes

Ficha técnica*

Realização e Produção Executiva: Joana Castanheira
Direção e Direção de Arte: Victor Zaguini
Direção de Fotografia, Captação e Edição: Rodrigo Schaeffer
Roteiro e Criação: Joana Castanheira e Victor Zaguini
Fotografia Still: Gerusa Younes
Finalização de áudio: Felipe Pessoa
Arte Gráfica e Animações: Ananda Torres
Coreografia: Moni Cherem
Figurino e Maquiagem: Joana Castanheira

*os créditos estão disponíveis neste link

Nasci em Blumenau, mas fui criado em Biguaçu, cidade em que vivi até os 28 anos: hoje moro em São José. Sou jornalista, me formei na Estácio de Sá e trabalhei no jornal Notícias do Dia, a minha casa entre 2009 e 2016, entre idas e vindas. Escrevia sobre esportes no impresso, mas sou apaixonado por música, a melhor invenção do homem.

DEIXE UM COMENTÁRIO.

Your email address will not be published. Required fields are marked *