Photo_DenisGraeff1_lo

A música do mundo do compositor Denis Graeff em “Bulnes 12 40”

A música feita por Denis Graeff é, no mínimo, curiosa. Filhos de pais gaúchos, mas nascido em Blumenau, o compositor nutre fortes laços com a Argentina e o Uruguai. Essa ligação é o norte de “Bulnes 12 40”, seu primeiro álbum, que será lançado neste sábado (27), em show na Fundação Cultural Badesc (Agência de Fomento do Estado de Santa Catarina), ao lado do Brumário. A entrada é gratuita.

Graeff fez tudo no disco: compôs, tocou, produziu, gravou e mixou. Apesar de ser influenciado por artistas como Bob Dylan e Leonard Cohen, o grosso do material remete a ritmos dos nossos Hermanos – milongas, payadas e tango. Com exceção da faixa de encerramento, “Milonga de Bulnes”, cantada em português, o restante das faixas foi escrito em inglês.

“Bulnes 12 40” soa quase obscuro: o clima é de solidão. A proposta se difere de grande parte dos artistas folk do estado, que aposta em canções românticas ou good vibes. Não que Graeff não tenha coração – pelo contrário. “And Her Eyes” e “Your Own Song” são carregadas de sentimento, daquele amor sofrido. Belo trabalho, mas gostaria de ouvir mais músicas em português ou até mesmo em espanhol.

Foto: Elisandro Dalcin


O Brumário é um projeto formado em 2014 pelos compositores Wagner Éffer e Juliano Malinverni. No ano passado, a dupla lançou o segundo EP, “Passeio”, que tem uma roupagem mais regionalista/brasileira. Além da apresentação, Malinverni lança o seu livro “Blues para Buda”, uma coleção de histórias e poesias.

Nasci em Blumenau, mas fui criado em Biguaçu, cidade em que vivi até os 28 anos: hoje moro em São José. Sou jornalista, me formei na Estácio de Sá e trabalhei no jornal Notícias do Dia, a minha casa entre 2009 e 2016, entre indas e vindas. Escrevia sobre esportes no impresso, mas sou apaixonado por música, a melhor invenção do homem.

DEIXE UM COMENTÁRIO.

Your email address will not be published. Required fields are marked *