alphajorge-rifferama

AlphaJorge assume identidade progressiva no primeiro álbum

Com “Raven”, single lançado nesta sexta-feira (1º) em todas as plataformas digitais, a AlphaJorge bate no peito e diz: somos uma banda de rock progressivo. Diferente do EP “Island House”, gravado em 2017, em que o grupo ia do blues ao hard rock, o primeiro álbum, “Storm Ahead”, traz duas músicas com mais de dez minutos de duração. O disco estará disponível para audição no dia 8 e o show de estreia acontece na semana seguinte (14), na Célula, ao lado de Space Chicken & The Eggs of Disaster e Othersame (PR).

O single marca a entrada do guitarrista Nicholas Medeiros no grupo, que é formado por Arthur Rodrigues (voz, guitarra e teclas), Thiago Darós (baixo e flauta) e Diego Rapoport (bateria). “Raven” conta com a participação de Marcio Bicaco no vibrafone. Em contato com o Rifferama, o vocalista Arthur Rodrigues revelou que a música foi a primeira faixa composta após a banda decidir pela mudança de sonoridade. Menos complexa do que as demais, “Raven” funciona como uma porta de entrada para o rock progressivo de “Storm Ahead”.

— Durante a primeira fase da banda a gente tinha dificuldade de rotular o nosso som, era difícil de fechar shows e apresentar para as pessoas. É blues, é hard rock, a gente não sabia dizer, cada música tinha características diferentes. Era uma coisa que me incomodava um pouco não ter uma identidade definida. “Raven” foi um primeiro passo nessa direção. Ela é mais acessível, mas ainda tem vários elementos, um arranjo vocal bem bacana. A gente sentiu que o single deveria ser algo para preparar o público para o restante do disco que é um pouco mais complexo.

O álbum foi gravado no estúdio Calamar Sounds, em Florianópolis, e foi produzido, mixado e masterizado por Júlio Miotto, que neste ano assinou diversos trabalhos como Muñoz, Blue Lips, Disaster Cities, entre outros. A participação de Miotto, o mais conceituado produtor da “nova geração” no estado, foi fundamental para a consolidação da nova sonoridade da AlphaJorge, segundo Rodrigues. “Storm Ahead” traz sete faixas e capa foi criada pelo artista LaserDemon.

— O Júlio não tem medo de ficar dando ideia, fala o que tem que dizer e se identificou com o nosso som. Trabalhamos juntos em vários aspectos, construindo arranjo vocal, procurando timbres de guitarra, em “Raven” ele fez uma intervenção pontual no segundo refrão, uma pausa que a gente não tinha feito e ninguém tinha pensado, ficou do caralho. Foi um dos casos em que ele contribuiu muito para o produto final. Sem contar que a gente cultivou uma amizade, é muito legal trabalhar com quem a gente gosta.

Foto: Laís Welter

Nasci em Blumenau, mas fui criado em Biguaçu, cidade em que vivi até os 28 anos: hoje moro em São José. Sou jornalista, me formei na Estácio de Sá e trabalhei no jornal Notícias do Dia, a minha casa entre 2009 e 2016, entre indas e vindas. Escrevia sobre esportes no impresso, mas sou apaixonado por música, a melhor invenção do homem.

DEIXE UM COMENTÁRIO.

Your email address will not be published. Required fields are marked *