BEZ_LEHR_PEIXOTO_MIBACH-CREDITO_QUINHO_MIBACH

Outros Bárbaros fazem muito com pouco em álbum de estreia*

*por Bruno Arceno

Os “Outros Bárbaros” são um quarteto formato por Maurício Peixoto na voz, violão e guitarra, Roberto Bez nos teclados, Eduardo Lehr no baixo e Quinho Mibach na bateria: músicos veteranos na cena musical catarinense. Este é o álbum de estreia, com dez faixas, com as participações de Fábio Della (guitarras, vocais e mixagem) Luana Laus e Rogério Otto (vozes) e Alexei Leão (masterização). Está disponível em plataformas digitais como Spotify, Apple Music, Deezer e, mais recentemente, no Youtube. Você pode se inscrever no canal da banda nesse link.

Trata-se de um trabalho que apresenta uma imensa qualidade musical, explorando a simplicidade. Um rock que é como ele deve ser, objetivo e direto ao ponto. Apesar disso, a banda apresenta muito capricho com detalhes: letras inteligentes com menções e referências (nem todo carnaval tem seu fim), acordes intrigantes como no single “O que eles querem?” (que hino!) e extensa variedade de dinâmicas – as músicas variam sua intensidade de forma muito orgânica, com refrãos, passagens e convenções certeiras, não tendo em nenhum momento uma fórmula pobre de composição. Um belo exemplo disto é a faixa de abertura “Cimento, ferro e caos”, com um ápice que certamente cativará o público ao vivo por sua beleza e pegada roqueira.

É um trabalho com excelentes medidas e sem abusos: os efeitos de guitarra, arranjos de vozes e timbres diferenciados de teclado são usados de forma excelente. A cozinha é precisa e dá ao som a sustentação necessária para soar simples e poderoso, como na faixa “Não há”. Por sinal, no disco como um todo, o uso do teclado é de excelente gosto, agindo de forma criativa em todas as músicas e com seu devido espaço em meio a formação clássica de power trio.

Por fim, me surpreendi muito positivamente ao ouvir o trabalho da banda. Confesso que eu esperava um rock and roll cru, direto, desapegado de detalhes, com riffs e guitarras na cara, porém o trabalho apresenta isso, mas tem muito mais: é notável que o álbum teve todo um carinho e esmero no arranjo das canções para obter a qualidade que tem. Todos estão de parabéns, “Outros Bárbaros” é um excelente álbum de estreia de um grupo veterano, que optou usar poucos elementos para fazer muito som.

Foto: Quinho Mibach

*Bruno Arceno é guitarrista, professor de música e integrante da Parafuso Silvestre

Nasci em Blumenau, mas fui criado em Biguaçu, cidade em que vivi até os 28 anos: hoje moro em São José. Sou jornalista, me formei na Estácio de Sá e trabalhei no jornal Notícias do Dia, a minha casa entre 2009 e 2016, entre indas e vindas. Escrevia sobre esportes no impresso, mas sou apaixonado por música, a melhor invenção do homem.

DEIXE UM COMENTÁRIO.

Your email address will not be published. Required fields are marked *