daniellucena-rifferama

Amigos e fãs homenageiam Daniel Lucena, do Expresso Rural

Apoie o Rifferama no Catarse


Nesta quarta-feira (16) perdemos um ícone, personagem fundamental na história da música catarinense. O cantor e compositor Daniel Lucena, fundador do Expresso Rural, faleceu aos 60 anos em decorrência de um câncer no fígado. Sem poder se despedir do ídolo, por conta da pandemia do Coronavírus, os amigos e fãs utilizaram as redes sociais homenagear o artista, autor dos grandes sucessos do grupo, que teve duas fases: de 1981 a 1995, com quatro álbuns e um disco ao vivo gravados, e o retorno, já em 2007, que rendeu uma coletânea e dois DVDs ao vivo.

O jornalista Luiz Maffei, produtor (em parceria com Jhonatan Matos) do documentário “Certos amigos”, sobre a história de Lucena, lembra com carinho aqueles nove meses de trabalho em 2013, quando teve a oportunidade de conhecer o ídolo de perto. Para Maffei, que também é músico, Lucena era um homem de “espírito livre”, que teve coragem de viver a vida intensamente.

— O Daniel era um cara sensível, foi um poeta que conseguiu transmitir com muita profundidade o seu trabalho. Ele era muito inteligente, divertido, um dos artistas mais relevantes para a música catarinense. Ele sempre se reinventou, compondo músicas para outros artistas, como “Reggae na casa amarela” (gravada pela banda Nós Naldeia), que muita gente ainda não hoje não sabe que é dele.

Confira outros depoimentos

“Ele nos deixou. 40 anos de amizade. Um dos maiores compositores que conheci. Criamos juntos o grupo que marcaria minha vida pra sempre e que o eternizaria como um gênio da nossa geração! Sua música ficará para sempre em nossos corações! Vá em paz, meu amigo, meu ídolo!”, Zeca Petry, fundador do Expresso Rural

“Tristeza? Ou celebração de uma vida cheia de alegrias? Agora o que me vem à lembrança são as incontáveis gargalhadas, momentos de música, famílias comemorando juntas, viagens… desde 1974! Os sentimentos são bons, e a tristeza vai chegar, eu sei! Daniel, um irmão!”, Volnei Varaschin, ex-Expresso Rural

“Aos 12 anos, meu maior sonho era tocar com o Expresso Rural, a primeira banda que assisti fazendo um show ao vivo. Isto foi no TAC, em Florianópolis, 1982. “Nas manhãs do Sul do mundo”, primeiro LP da banda, ouvi até furar, sei tocar e cantar de memória todas as músicas até hoje. Daniel Lucena é um dos melhores compositores do Brasil, meu primeiro ídolo da música pop, que tive a honra de acompanhar quando eu tinha apenas 16 anos. Foi meu primeiro trabalho como músico profissional. Na última vez que o encontrei, fizemos uma festa danada, ainda no tempo em que amigos queridos podiam se abraçar com direito a beijo. O mundo acabou de ficar mais preto e branco e a música mais triste”, Carlos Trilha, produtor musical

“Quero lembrar do Daniel Lucena do jeito que ele levava a vida. Sempre alegre e com o coração maior do mundo. Coração partido aqui, meu amigo, você é e foi um grande ícone da nossa música. Obrigado por tanto, poeta, irás brilhar no outro plano”, John Mueller, compositor

“Daniel Lucena partiu. Muito já se disse, com ele em vida, sobre como a sua existência aqui foi fundamental para o cenário da música de Santa Catarina. E como seguiu sendo, ainda que numa longa luta para viver. Tenho que confessar que, diante do seu posicionamento político neste tempo recente, eu já não conseguia mais reconhecê-lo nas letras que criou. Questão minha. Mas desejo de coração que descanse em paz e todo carinho e conforto para a família, fãs e amigos do Expresso”, Marcos Espíndola, jornalista

Foto: Tóia Oliveira

Nasci em Blumenau, mas fui criado em Biguaçu, cidade em que vivi até os 28 anos: hoje moro em São José. Sou jornalista, me formei na Estácio de Sá e trabalhei no jornal Notícias do Dia, a minha casa entre 2009 e 2016, entre idas e vindas. Escrevia sobre esportes no impresso, mas sou apaixonado por música, a melhor invenção do homem.

3 Comentários

  1. […] transmissões ao vivo, com mais de 30 atrações, homenageando o cantor e compositor Daniel Lucena, falecido em dezembro do ano passado. O projeto, que ganhou o nome de “Certos amigos”, uma das canções mais […]

  2. Daniel Lucena É nosso!
    Incontáveis são os artistas catarinenses que acreditaram em seus sonhos baseados no que realizou o Expresso Rural sob a batuta poética de Daniel Lucena! Não há palavras que possam definir o feito. Porque não é uma história escrita com canetas e teclados... é uma alma exposta, virada pelo avesso buscando na simplicidade se fazer entender profundamente. Isso, não é para qualquer um, entender seu momento na história e ser preciso ao ponto de virar luz.

    "Nas manhãs do Sul do Mundo" não é poesia dos anos 80, basta imaginar que fosse composta essa semana, ou semana que vem, ou daqui alguns anos, para entender um pouco (só um pouco) a sua dimensão.

    Parabéns aos artistas na matéria, que não só o reconhecem, como respeitam sua obra e possuem a sensibilidade de se ater tão somente a grandeza de uma vida dedicada a arte, num momento que a nossa cultura chora a sua passagem.

    Sou imensamente grato por pegar o caminho com as claridades que ele desbravou! Descanse em paz! NOSSA ESTRELA MAIOR!

  3. Sou fã demais da Expresso e fiquei arrebentado com a ida do Daniel Lucena.
    Que 2020 sombrio.
    Mas, vai o homem, fica a sua obra.
    A música catarinense e Santa Catarina aplaudem de pé. Ele foi genial e suas composições permanecerão eternas e, como ele mesmo compôs: "Saudade é uma faca afiada, que cortam os nossos corações. Que faz da vida quase nada e nos confunde com a poeira dessa estrada."
    Vá em paz, Daniel Lucena.

DEIXE UM COMENTÁRIO.

Your email address will not be published. Required fields are marked *