rosebud-rifferama

Após dez anos, veja os bastidores de “Rosebud” (Jean Mafra)*

*por Jean Mafra

há dez anos gravamos videoclipe de “rosebud”. era inverno e éramos outros, vivíamos em outro país também. economia deslanchando, perspectivas mil. eu acabara de deixar a banda em que estive nos sete anos anteriores. período em que fiz muita coisa. amigos, inclusive. com alguns deles gravei um disco solo. isso no ano de 2008, durante um longo inverno chuvoso. no mês de agosto, provavelmente, lígia estriga foi até o lom estúdio de fábio della para gravar sua participação naquela faixa de groove lento e climático. o projeto saiu sem muito alarde – “estranho-conceitual-minimalista”, disseram.

corta para 2010. deixo a samambaia (esse era o nome da minha banda) e em três meses apresento um ep com algumas inéditas e uma versão de “rosebud” um pouquinho diferente. aquele era um desdobramento mais palatável do disco que havia gravado antes. a vida estava diferente, eu precisei me reinventar. minha amiga lígia também. naquele intervalo de tempo ela fora mãe, casara e deixara de ser a voz a frente da maltines, grupo com a qual gravara um álbum.

mas naquele domingo frio em que produzimos o vídeo, tivemos ajuda de alguns amigos e amigas: alexandre sucupira, ana carina baron, lara maringoni guimarães, marcelo “bibelô”, thiago francisco, thiago sthark, tiago bonin e bianca chiaradia (que embora não tenha podido estar lá, era colaboradora da produção). foi uma tarde divertida, de mesa mesa farta e riso solto. foi há muito tempo, aparentemente.

esse inverno tem sido diferente de outros. mais triste, com mesas menos fartas país afora. com menos risos, infelizmente. juntar amigos agora é irresponsável e o isolamento pode salvar vidas. isolados, acabamos olhando para trás e assim nos perguntamos: o que fizemos valeu ter sido feito? de minha parte digo “sim”. e sigo revendo, planejando e lembrando quem perdi nestes dez anos (foram muitos). lígia já não está entre nós, infelizmente, mas sua voz pode nos iluminar através de algumas das canções que ela cantou.

o vídeo é simples e apresenta pessoas felizes como devemos ser quando temos perspectivas, quando temos esperança. hoje, embora possamos esquecer vez ou outra, ainda temos motivos para nos manter esperançosos. não esqueçamos, os invernos sempre chegam ao fim, ainda que alguns possam parecer demasiadamente longos.

me chamo jean mafra
sou compositor, cantor, dj e pesquisador
…e ando mais saudosista do que gostaria.

Foto: Tiago Bonin

Nasci em Blumenau, mas fui criado em Biguaçu, cidade em que vivi até os 28 anos: hoje moro em São José. Sou jornalista, me formei na Estácio de Sá e trabalhei no jornal Notícias do Dia, a minha casa entre 2009 e 2016, entre indas e vindas. Escrevia sobre esportes no impresso, mas sou apaixonado por música, a melhor invenção do homem.

DEIXE UM COMENTÁRIO.

Your email address will not be published. Required fields are marked *