arvofestival-rifferama

Arvo Festival: Música e sustentabilidade neste sábado (7)

A cada edição, o Arvo Festival enriquece a sua proposta de apresentar a diversidade musical da cena independente brasileira e promover a consciência ambiental – toda a estrutura do evento é construída com madeira de reaproveitamento. Neste sábado (7) acontece mais uma celebração no sítio do Tio Techo, no Campeche. São cinco DJs e quatro bandas e artistas de diferentes regiões do país: Dandara Manoela (SC), Castello Branco (RJ), Trabalhos Espaciais Manuais (RS) e Academia da Berlinda (PE). Os ingressos estão à venda no eventbrite, a R$ 70 – quinto lote.

A primeira edição aconteceu em setembro de 2018 e teve The Cegus (SC) e Gelpi (RS) como atrações principais. Em dezembro foi realizada a segunda festa, com Sun Sweet Sun (RS), NOAHS (SC), Abraskadabra (PR) e Salvador Araguaya (SP). A trinca do último festival, em abril, não deixou dúvidas quanto o crescimento dessa iniciativa: Dingo Bells (RS), Trombone de Frutas (PR) e Samuca e a Selva (SP). Além das atrações musicais, o Arvo terá intervenções circenses e de artes plásticas durante o evento.

Sustentável, o festival prioriza materiais de descarte da indústria ou coletados na Comcap (Autarquia de Melhoramentos da Capital). O objetivo é zerar o impacto de lixo no local. Segundo a produção do Arvo, o volume de lixo recolhido passou de uma tonelada na primeira edição, que teve 800 participantes, para 220 quilos na última, que recebeu um público de 2.000 pessoas. A maior parte desses resíduos (160 quilos) foi compostado/reciclado, com menos de 30% (60 quilos) destinado a aterro sanitário.

Programação

14h – DJ Mary janeiro
15h – Dandara Manoela
16h30 – Bolachada Vinil
17h30 – Castello Branco
19h – DJ Schasko
20h – Trabalhos Espaciais Manuais
21h30 – Tata Ogan
22h30 – Academia da Berlinda
0h – Allen Rosa

Nasci em Blumenau, mas fui criado em Biguaçu, cidade em que vivi até os 28 anos: hoje moro em São José. Sou jornalista, me formei na Estácio de Sá e trabalhei no jornal Notícias do Dia, a minha casa entre 2009 e 2016, entre indas e vindas. Escrevia sobre esportes no impresso, mas sou apaixonado por música, a melhor invenção do homem.

DEIXE UM COMENTÁRIO.

Your email address will not be published. Required fields are marked *