lançamentos2022patrocinadores-rifferama

Ouça todos os trabalhos lançados em 2022 em Santa Catarina

O Rifferama tem o apoio cultural de 30 Por Segundo, Habrok Music, Mini Kalzone e DOBERRO


Contribua com a campanha de financiamento coletivo do Rifferama no Catarse

O que escrevo neste post não é novidade para ninguém: A música catarinense vive a sua melhor fase — em quantidade e qualidade. Foram mais de 1300 lançamentos registrados pelo Rifferama no ano passado, entre álbuns, EPs e singles. Em 2022 seguimos catalogando a produção autoral pelo estado e até o momento temos 50 trabalhos lançados em Santa Catarina. Este post será atualizado semanalmente e é colaborativo. Faltou algum nome? Envie o link nos comentários.

Arte: Mayer Soares


Álbum (2)

Alan Coutinho (Balneário Camboriú, reggae) — “Oh Fé”

Rhasalon (Rio do Sul, heavy metal) —  “Still Standing”


EP (4)

Armada85 (Florianópolis, metal) — “A85 Live no fim do mundo”

Gil Daltro (Florianópolis, rap) — “Subversivo”

Malinverni (Florianópolis, experimental) — “Herança amarga dos que vieram antes de nós”

Os Alacantos (Blumenau/Rio de Janeiro, música brasileira) — “Da sina florescerá o rio”


Singles (44)

Affix (Lages, rock) — “Inquebrável”

Alkanza (Tubarão, thrash metal) — “Filhos da devastação”

Alquimista do Vento (Biguaçu, pop) — “Redandhell”

Apócrifos (São Bento do Sul, metal) — “Sin”

Banho Maria (Criciúma, pop/rock) — “Mas tudo bem”

Beli Remour & Reis do Nada (São José/Florianópolis, pop) — “Bruta”

Cereja Azul (Florianópolis, música brasileira) — “Num cantinho qualquer”

Diefe & Idalino (Imaruí/Imbituba, rap) — “Fases parte 2”

Fábio Della (Florianópolis, folk) — “Estamos de passagem”

Fábio Della (Florianópolis, folk) — “Surdo e mudo”

Fábio Della (Florianópolis, folk) — “Vontade de se ver”

Felk (Balneário Camboriú, folk) — “Enluarada”

Grillo e os Mosquitos (Florianópolis, instrumental) — “Traz o repelente”

Guinabi, Viola Roots e Monte Carvoeiro (Criciúma, reggae) — “Nas ondas de Jah”

Hudson Passos (Joinville, eletrônico) — “World Party”

Indignus (Nova Veneza, rock) — “Mente limpa”

Indignus (Nova Veneza, rock) — “Profundos sons”

Jona Poeta & Vox”emy (Florianópolis, pop) — “Perdi você”

Juliano Scharf (Blumenau, instrumental) — “Moments”

Lidera (Blumenau, rock) — “Let’s Take a Break”

Mandale Mecha (Florianópolis, pop) — “Rainfalls”

Mokados Crew (Blumenau, rap) — “Bless”

Monoácidos (Florianópolis, rock) — “Simples passagem”

Murahead & Ras Bernardo (Florianópolis, reggae) “Fora da Barra”

Nando Mason (Orleans, blues) — “Feito o estalar do chicote”

Não é mais inverno (Laguna, rock) — “Depois da humanidade”

Norium (Criciúma, heavy metal) — “Dark Waters”

NZ RHA (Santo Amaro da Imperatriz, rap) — “You Is Somebody or Is Nobody”

One Cross (Florianópolis, black metal) — “Death Run”

Pedro Orthey (Joinville, x) — “Slippery”

Quinteto S.A. & Suel (Florianópolis, pagode) — “Conectados”

Ray Ben Rue (Criciúma, eletrônico) — “On the Beach”

Reis do Nada (Florianópolis, pop) “Don’t Tell Mama”

Rejects S/A (São Bento do Sul, punk rock) — “Nobres caboclos”

Ritsuka (Florianópolis, pop) — “Manga rosa”

Slow Gang, SixKush e Nostra Family (Florianópolis, rap) — “MFD – Fortuna”

Sonido Club (Florianópolis, pop/rock) — “Solitário grão”

Tatiana Cobbett (Florianópolis, música brasileira) — “Flor Bela”

Taunting Glaciers (Blumenau, rock) — “Manossolfa”

VCZ (São José, rap) — “Noção”

Victor Hugo (Florianópolis, música brasileira) — “Aurora”

Vnegão, Tom Calvário e Thiagão (Criciúma, rap) — “Mais um dia”

Wadada (Florianópolis, reggae) — “Mina de fé”

Yeti Reggae Club (Itajaí, reggae) — “Leve e natural”

Daniel Silva é jornalista e editor do portal Rifferama, site criado em 2013 para documentar a produção musical de Santa Catarina. Já atuou na área cultural na administração pública, em assessoria de comunicação para bandas/artistas e festivais, na produção de eventos e cobriu shows nacionais e internacionais como repórter de jornal.

DEIXE UM COMENTÁRIO.

Your email address will not be published. Required fields are marked *