laurinholinhares-rifferama

(Re)Descobertas da quarentena: Laurinho Linhares (Reis do Nada)

Apoie o Rifferama no Catarse


Siga a playlist (Re)Descobertas da quarentena no Spotify


O cantor, compositor e produtor Laurinho Linhares acompanhou as mudanças no mercado da música nos últimos 20 anos. Na década de 2000, o artista integrou a banda Mirábilis, que chegou a fixar residência em São Paulo, onde gravou o segundo álbum, “Mil palavras” (2007), lançado em todo o país pela Azul Music.  Atualmente, Laurinho forma com Ph Collaço o duo Reis do Nada, uma das bandas mais ouvidas do estado, com 12 milhões de plays (Spotify e YouTube) e 50 mil ouvintes mensais no Spotify.


Sly & The Family Stone – The Essencial Sly & The Family Stone (2002)

Referência máxima do funk, ao lado do James Brown, claro. Desde Jackson 5, Ed Motta, todo mundo que curte o funk conhece, esse CD é foda demais. Como é uma coletânea, tem vários clássicos e músicas conhecidas. Abriu a minha mente quando entrou na minha vida na década de 90. Eu gostava bastante de rock, mas curtia vocais mais soul, tipo (David) Coverdale, Glenn Hughes, nessa pegada, aí quando ouvi Sly & The Family Stone soube que era isso o que eu queria fazer. 


Stevie Wonder – Early Classics (2000)

Esse disco traz os clássicos do começo da carreira dele, nos anos 60, como “Uptight”, “Fingertips” e “Yester-me, Yester-you, Yesterday”. Tem música dele cantando ainda criança, e já era muito sinistro. Stevie Wonder é referência pra todo mundo que gosta de uma música sublimemente cantada, é um cara que transcende o lance da música, toca tudo, canta muito, é uma entidade musical. Ele teve um papel muito importante na minha formação. Busco sempre essa coisa quase inatingível que ele faz.


Boyz II Men – Legacy (2001)

O Boyz II Men, pra quem não conhece, é um grupo de R&B dos anos 90, que começou com quatro vocalistas, depois seguiram como trio. Todos cantam muito, eles são referência no estilo a capella, um trabalho de voz cabuloso, que curto muito e sempre tento trazer para as músicas que eu faço. Sou suspeito para falar, pois gosto muito do trabalhos deles, os arranjos para vozes. Conheci o grupo no fim dos anos 90 e, a partir dali, eu entrei de cabeça na sonoridade do R&B. 


Bônus: Reis do Nada & Luana Berti – Garotas de Vans

Foto: Erick Bark

Nasci em Blumenau, mas fui criado em Biguaçu, cidade em que vivi até os 28 anos: hoje moro em São José. Sou jornalista, me formei na Estácio de Sá e trabalhei no jornal Notícias do Dia, a minha casa entre 2009 e 2016, entre indas e vindas. Escrevia sobre esportes no impresso, mas sou apaixonado por música, a melhor invenção do homem.

DEIXE UM COMENTÁRIO.

Your email address will not be published. Required fields are marked *