johnnyduluti-rifferama

A música catarinense perde o seu último punk, Johnny Duluti

Apoie o Rifferama no Catarse


O domingo (28) amanheceu mais triste com a notícia do falecimento de João Filipe Telemberg Cordeiro, mais conhecido como Johnny Duluti, em Florianópolis. O multi-instrumentista e videomaker estaria com COVID-19, sofreu duas paradas cardíacas e não resistiu, segundo informou a sua companheira, Sara Massotti, em publicação nas redes sociais do músico. O velório será restrito aos familiares, em virtude do lockdown decretado pelo Governo de Santa Catarina.

Duluti era uma figura única no meio da música catarinense. Dono de um humor peculiar, foi um agregador e trabalhou muito: encarnou como poucos a expressão DIY (Faça você mesmo, do inglês Do It Yourself), como bom punk que era. Foi baterista do Califaliza, do Eutha e do Marina Radio Clube, com três álbuns, um EP e vários singles gravados no currículo, e ainda tinha um prolífico trabalho solo, que culminou na ópera-punk rock “Instinto animal”, uma pequena amostra do que ele era capaz de fazer.

Com o Ferradura Video, canal que criou em 2015, Johnny Duluti dirigiu quase 40 videoclipes para bandas como Da Caverna, Hope of Fools, Não Contém Glúten e outras tantas mais. Era com a sua produtora que o artista dava vazão a sua criatividade e ironia (deboche não é crime), com um olhar irreverente para a produção local, da qual foi um incentivador por meio de diversas iniciativas, como O Clube. Perdemos um gigante.

Foto: Stivy Malty

Daniel Silva é jornalista e editor do portal Rifferama, site criado em 2013 para documentar a produção musical de Santa Catarina. Já atuou na área cultural na administração pública, em assessoria de comunicação para bandas/artistas e festivais, na produção de eventos e cobriu shows nacionais e internacionais como repórter de jornal.

2 Comentários

  1. […] baterista Victor Berretta, do End of Pipe, tinha muita coisa em comum com o músico Johnny Duluti, que faleceu no dia 28 de fevereiro, aos 32 anos, em Florianópolis. Além do instrumento, os […]

  2. Que tristeza, meus sentimentos.

DEIXE UM COMENTÁRIO.

Your email address will not be published. Required fields are marked *